(48) 4507-5403
Você quer saber como fazer um trabalho academico? Por apenas R$ 10 por página Obtenha um exemplo de monografia gratuito e pronto

Jornal do ensaio de Pablo Picasso

A arte é a melhor qualidade, produção, frase ou esfera, de acordo com as regras estéticas, do que é belo, interessante ou maior que o significado comum. Conseqüentemente, relacionar a verdade em uma obra de arte depende de quão agradavelmente um autor gostaria de mostrar sua obra. A verdade é algo que fornece conformidade com o fato ou talvez a realidade. “Um autor corresponde a sua obra de arte através da imaginação literária, como forma de transmitir sua mensagem ao mercado. A criatividade literária é uma grande coisa estética oferecida por um autor a um amante de e-books.

Samuel Butler declarou: ‘Todo trabalho de um homem, seja literatura, música, imagens, arquitetura ou qualquer outra coisa, é na verdade um símbolo de si mesmo. “Um trabalho literário tem alguma subjetividade nisso, então meus problemas de conhecimento são” A conversa subjetiva de pensamentos pode esconder a verdade de uma habilidade? Ou a verdade simples é uma questão que não pode ser completamente revelada por meio do método subjetivo. Como um papel importante na divulgação da verdade real por meio de uma obra literária, certamente considero meus problemas de conhecimento que estou realmente tomando emoção, raciocínio e linguagem como minhas maneiras pessoais de entender e explorar os problemas de conhecimento na área de compreensão da arte.

Na literatura, quando um escritor afirma algo, dentro de sua função, ele realmente dá alguns exemplos e prova certo ou errado, e aceitamos afirmações duradouras como verdade, independentemente do fato de o enredo em que ele está provando um coisa como verdade simples é fictícia. Exatamente o que um escritor universitário publica artigos é o seu ponto de vista; portanto, quando a arte é vista com sinceridade, ela pode não ter o apelo certo para os leitores; consequentemente, a arte que é certamente verdadeira pode ser rotulada como uma função não estética “Por ‘não estética ‘Entendo uma relação da filosofia com a arte que, sustentando que a arte é ela própria produtora de verdades, não faz nenhuma afirmação de que a arte é trocada por um objeto destinado à filosofia.

Contra a especulação estética, o estético explica os efeitos firmemente intra-filosóficos produzidos pela vida independente de algumas obras de arte. Às vezes, mesmo que o escritor mostre um fato que realmente existe, a maneira como ele o descreve pode alterar seu significado final e não apresentará o que ele está tentando dizer aos leitores por meio de sua função. Isso implica que a literatura nem sempre especifica a realidade, no entanto, está próxima e que às vezes pode ser que as pessoas provavelmente não reconheçam a verdade, pois nem todas estão preparadas para aceitá-la.

As emoções são um modo de influência, porque as emoções podem nos levar para mais perto da maneira como vemos a verdade. As emoções impactam o significado principalmente porque elas podem atrair todos nós ou impactar nossa noção de que os livros funcionam. Na literatura, mesmo uma história que não é verdadeira pode mostrar a realidade da sociedade ou talvez a vida. Um exemplo está no crepúsculo. Stephenie Meyer escreveu “ninguém nunca lhe contou antes? A existência não é razoável. Stephenie Meyer, seu romance mostra como a persona enfrenta preocupações em sua vida e, depois disso, afirma que a vida simplesmente não é justa.Esses leitores que também enfrentaram muitas preocupações em suas vidas e se relacionam com essa personalidade podem considerar isso como verdade real.

Mesmo que um escritor mostre a verdade em seu trabalho, o leitor não a adquirirá, a menos que tenha as mesmas emoções ao lê-la, de acordo com o fato de o escritor ter experimentado sobre o personagem enquanto o compôs. As emoções não podem nos levar perto da verdade, quando se trata de espectadores que de maneira alguma enfrentam problemas semelhantes ao personagem. Para eles, a citação de Stephenie Meyer não seria relacionada à vida deles. Então, para trazer à tona a verdade através de um trabalho de materiais, os leitores precisam realmente sentir como o escritor se sentiu. As emoções podem nos aproximar da verdade real apenas se alguém puder se conectar com a afirmação do autor, no sentido em que o criador pensa ou talvez as experiências vividas por uma persona no romance.

Às vezes, o chinês usado nas belas artes é poderoso o suficiente para nos aproximar da verdade. O vocabulário do escritor influencia a mente de um leitor. Rabindranath Tagore, que ganhou o Prêmio Nobel de Gitanjali, é o melhor tipo de autores cujo foco principal é definitivamente não gerar uma estética de trabalho, mas demonstrar a realidade. A força da linguagem é usada para mostrar a verdade e não para torná-la imaginativa “Deixe esse canto, o canto e a narração de contas! A quem você adora neste canto solitário e escuro de um templo com as portas fechadas? Abra os olhos e veja Deus não pode estar diante de ti! Em Gitanjali, Rabindranath Tagore efetivamente usou a linguagem para expor os fatos duros da sociedade indiana americana, castrada, ilógica e extremamente religiosa.Foi a potência da língua que Rabindranath Tagore usou em Gitanjali que cuidou do centro de todos. É o dialeto que pressionou os leitores a aceitar a verdade que existia, mas que na verdade não era aceita.

Prev post Next post