(48) 4507-5403
Você quer saber como fazer um trabalho academico? Por apenas R$ 10 por página Obtenha um exemplo de monografia gratuito e pronto

Composição dos pais adotivos

Um enteado adulto entendendo os pais adotivos

Eu era um enteado, posso dizer por experiência própria, que as associações de degraus podem ser algumas das mais difíceis que todos enfrentamos enquanto animais de estimação sociais. Muitas vezes, as crianças entram em famílias adotivas com uma grande perda e mudança que está acima e acima de seu controle. Eles podem incluir uma vida conjugal problemática e provavelmente abusiva e ou a dolorosa perda de vidas de um dos pais ou responsável. Em ambos os casos, a estrutura da família foi alterada dramaticamente. Em muitas ocasiões, eles se perguntarão se eles são de alguma forma responsáveis ​​por situações que alteraram a dinâmica dos membros da família.

Algumas crianças acham que são indignas com os pais apreciam.

Muitas crianças assumem que são responsáveis ​​pela ausência de seus pais. Muitas crianças acreditam que seu mau comportamento pode ter sido o motivo. O sentimento insuficiente subsequente da criança que merece, pode fazer com que as crianças reajam ou se comportem mal, em diferentes métodos. Eles podem se afastar de ações com amigos e familiares, podem até acreditar em coisas como: Como alguém pode me amar, meu pai nem sequer gostava de mim? As crianças podem se comportar mal porque estão chateadas consigo mesmas. Um método para ajudar a criança a lidar com seu sentimento de culpa é que os adultos (pais) procurem as crianças imediatamente.

Discuta as alterações e como elas podem afetar as atividades cotidianas e forneça a elas informações sem julgamento sobre o que está acontecendo dentro de um método direto. Não leve muito a sério a capacidade de seus filhos reconhecerem que mudanças ocorrerão. O bom senso dita, que você simplesmente não conte a eles todos os detalhes desarrumados, mas uma justificativa clara que seja apropriada para a faixa etária, na situação que consiste na garantia de que o garoto praticamente não fez nada de errado, você poderia também, assim como seu pai / Mamãe e eu também sempre teremos prazer em você. Não importa onde estamos ou talvez o que estamos realizando.

A culpa também pode consumir crianças se elas se sentirem enganosas para um dos pais neurológicos. Filhos que querem ou gostam da empresa com o padrasto se sentem desleais com o pai ou a mãe biológica, esse não é um grande incidente incomum.

O remorso que a acompanha pode ser um fator agregador das tendências da criança em relação a um padrasto e fará com que a criança depois afaste o padrasto ou se solte através de situações que, de outra forma, acabariam sendo agradáveis.

Os adultos geralmente acreditam que as crianças são resistentes à idade e, portanto, se recuperam. Os filhos são levados à perturbação do divórcio ou à fatalidade e às mudanças radicais que se seguem, e ao namoro e novo casamento com os pais. Eles podem não ter controle sobre nenhum desses eventos que estão criando um efeito importante em todas as suas vidas e, além disso, sentem-se impotentes e zangados.

Embora as crianças sejam mais flexíveis do que os adultos, sua adaptação a uma nova situação depende de como elas serão ajudadas nesse período possivelmente traumático. Para que o padrasto experimente um casamento saudável com seu enteado, ele deve identificar e familiarizar-se com as emoções da criança e o que motiva as tendências da criança.

Normalmente, os filhos têm pouca ou nenhuma escolha em matéria de divórcio, nem têm escolha nas ocasiões a seguir. É provável que esse tipo de sensação de impotência interfira na confiança e no senso de segurança. As crianças, como os adultos, precisam pensar que têm escolha e controle em suas vidas. A falta desses dois fatores importantes, escolha e controle, pode levar a preocupações em um grande número de áreas diferentes, do comportamento aos distúrbios emocionais.

Para ajudar as crianças a sentirem que têm algum poder pessoal, pode ser útil dar-lhes o máximo de opções possível para diferentes aspectos de suas vidas. Oferecer às crianças opções como selecionar

o que eles desejam comer no café da manhã, o que querem vestir ou como gastar seu subsídio específico pode ajudar as crianças a perceberem que realmente têm algum controle, o que, por sua vez, pode ajudar a se livrar ou diminuir seus pensamentos de impotência e desamparo.

As crianças também precisam ser incluídas nas conversas sobre novas regras, atividades dos membros da família, etc. Mesmo que os adultos tenham a palavra final, as necessidades das crianças devem ser ouvidas e consideradas. Capacite seu filho, mostrando a ele que o julgamento deles tem valor.

As crianças produzem uma profunda percepção de comprometimento com os amigos e a família, especialmente com os pais, e nós ensinamos.

Ensaio sobre pais adotivos

Um enteado adulto entendendo os pais adotivos

Eu era um enteado, você precisa saber por experiência de qualidade que as interações entre etapas podem ser muitas das mais difíceis que enfrentamos enquanto animais de estimação da família.Muitas vezes, as crianças entram em famílias adotivas com uma boa perda e alteração que está acima e acima de seu controle. Eles podem ter sofrido um casamento abusivo problemático e viável e / ou a morte dolorosa de um dos pais ou responsável. Em ambos os casos, a estrutura da família foi melhorada dramaticamente. Na maioria das vezes, eles se perguntam se eles são os culpados por situações que melhoraram a dinâmica dos membros da família.

Algumas crianças acham que são realmente indignas de seus pais se divertirem.

Muitas crianças assumem que podem ser responsáveis ​​pela ausência de todos os pais. Várias crianças acreditam que seu mau comportamento pode ter sido o motivo. As crianças subsequentes, que não se sentem suficientemente merecedoras, podem fazer com que as crianças reajam ou se comportem mal, de maneiras diferentes. Eles podem se afastar de ações com amigos e familiares, eles podem até pensar coisas como: Como alguém pode me amar, meu próprio pai não poderia me amar? As crianças podem se comportar mal porque estão furiosas consigo mesmas. Um método de ajudar a criança a lidar com o sentimento de culpa é o dos pais (adultos) para conversar com as crianças imediatamente.

Discuta as alterações e como elas podem afetar as atividades cotidianas e forneça essas informações sem julgamento sobre o que está acontecendo em uma abordagem direta. Não subestime a capacidade de seus filhos de reconhecer que mudanças estão ocorrendo. Ditados práticos, que você não conte a eles todos os detalhes confusos, no entanto, uma explicação clara que seja apropriada para a faixa etária, com a situação que consiste na paz de espírito, de que a criança não fez nada de errado, você pode, além de seu pai / mãe e Eu vou sempre amar voce. Independentemente de onde estamos ou talvez o que estamos fazendo.

A culpa também pode consumir os filhos se eles se sentirem desleais com um dos pais naturais. Uma criança que ama ou anseia pela companhia de seu padrasto se sente desleal com seus pais biológicos, isso não é um incidente incomum.

O remorso que o acompanha pode ser um fator que contribui para o hábito da criança em relação a um padrasto e pode fazer com que a criança afaste o padrasto ou se remova através de situações que de outra forma poderiam se tornar agradáveis.

Os adultos geralmente assumem que as crianças são jovens e resilientes, para que se recuperem. Os filhos são varridos pela perturbação do divórcio ou da fatalidade e pelas mudanças radicais neste artigo, e no namoro e no novo casamento de seus pais. Eles podem não ter controle de nenhum desses incidentes que estão causando um grande impacto em suas próprias vidas, além de se sentirem confiantes e furiosos.

Embora os jovens sejam mais flexíveis do que os adultos, seu realinhamento para uma nova situação depende de como eles são ajudados nesse período potencialmente traumático. Para que o padrasto possua um casamento saudável com seu enteado, ele deve reconhecer e estar familiarizado com os pensamentos da criança e o que motiva as tendências da criança.

Normalmente, as crianças têm pouca ou nenhuma escolha quando se trata de um divórcio, nem têm uma seleção nos eventos seguintes. É provável que esse tipo de sentimento de impotência interfira com sua própria confiança e senso de segurança. As crianças, como os adultos, precisam pensar que têm decisão e controle em suas vidas. A falta desses dois fatores importantes, escolha e controle, pode levar a problemas em diversas áreas diferentes, que vão do comportamento a distúrbios emocionais.

Para ajudar as crianças a sentirem que têm muito poder pessoal, pode ser útil oferecer-lhes várias opções possíveis para diferentes aspectos de suas vidas. Oferecer às crianças opções como selecionar

o que eles desejam comer no café da manhã, o que querem vestir ou como você pode gastar sua própria mesada pode ajudar as crianças a ver que elas realmente têm algum controle, o que, por sua vez, pode ajudar a remover ou reduzir suas emoções de impotência e confusão.

As crianças também precisam sempre ser incluídas nas discussões sobre novas regras, amigos e atividades familiares, etc. Mesmo que os adultos possam ter uma reivindicação final, os requisitos das crianças devem ser observados e considerados. Capacite a criança, mostrando a ela que seus pensamentos e opiniões valem a pena.

As crianças desenvolvem um profundo senso de dedicação à família, especialmente aos pais, e que nós as ensinamos.

Prev post Next post