(48) 4507-5403
Você quer saber como fazer um trabalho academico? Por apenas R$ 10 por página Obtenha um exemplo de monografia gratuito e pronto

Creon é o herói trágico na Antígona de Sófocles

Os acontecimentos em Édipo Rei foram as circunstâncias propostas (pré-história) da peça de Antígona, embora o autor tenha escrito Édipo depois de Antígona.

Antígona é uma peça única. Existem 2 agons no jogo. Agon é o monólogo do protagonista, para o qual ele revela todas as suas intenções. Nesta peça, há dois heróis trágicos – Creon e Antígona. Até certo momento, o espectador deve se preocupar com os dois, porque ambos estão certos. A tragédia é que tudo acontece entre pessoas boas. Caso contrário, a tragédia teria se depreciado. Creon emite um decreto que proíbe o enterro do corpo de Polinices (porque ele iniciou uma guerra civil e quase matou a cidade, como uma esfinge). A decisão de Creon é nobre e desinteressada. Isso não é um capricho pessoal.

Quando Antígona chega à cidade, ela viola o decreto de Creonte, enterra o corpo do irmão e se torna um criminoso. Ela fala sobre leis não escritas. As leis humanas entram em conflito com as leis do divino. Essa é a base da tragédia. O espectador não pode escolher um herói e simpatizar com ele. Eles simpatizam com ambos.

Creon ordena a prisão de Antígona na cripta da família. Já que é tão importante para ela observar as leis, o divino e o morto devem estar com os mortos. Mas ela está viva e aqui ela enfrenta a questão do suicídio. Essa é a situação ideal para a tragédia. Antigone se pendura no cinto de acoplamento. A questão é: por que ela é a heroína da tragédia? Suicídio em todas as nações é pecado. O fio só pode ser cortado pela Moira.

O herói da tragédia chega consciente e compreende as conseqüências de suas ações. Creon pensou em mandar Antígona para a cripta, ninguém o forçou. Com sua ação, ele viola a lei, tanto humana quanto divina. Não pode haver alma viva entre os mortos. E a partir desse momento Creon se torna um criminoso. Um criminoso involuntário. De agora em diante ele não causa compaixão. Antígona comete suicídio conscientemente, mas prefere a lei divina. Ela se mata não do desespero e porque ela não tem saída, mas porque ela retorna, a ordem das coisas violadas por Creonte. Porque ela, com sua alma viva na cripta, corrompe o curso das coisas.

Prev post Next post